carta
  • hpb Hospital de Praia Brava
  • cmm Centro Médico de Mambucaba
  • amir Ambulatório Médico de Itaorna
  • cmri Centro Médico das Radiações Ionizantes
  • cira Centro de Informações sobre Radioepidemiologia
  • cmpm Centro Médico do Parque Mambucaba
example Banner

Notícias

voltar a notícias

Feam participa na República Dominicana de curso oferecido pela OIEA

15 de Agosto de 2012/CMRI

Em março a Diretora-superintendente da Fundação Eletronuclear de Assistência Médica, Dra. Teresa Leite, e o médico Alexandre Maurmo, responsável técnico do Centro de Medicina das Radiações Ionizantes da FEAM, participaram do Curso Regional de Capacitação sobre Resposta Médica a Emergências Radiológicas em Santo Domingo, na República Dominicana. O Curso foi organizado pela Agência Nacional de Energia Atômica e o governo daquele país.  Foi a OIEA, inclusive, quem convidou Dra. Teresa e Dr. Alexandre para o curso, patrocinando a ida dos dois. O convite, segundo a diretora, demonstra o papel fundamental da FEAM no cenário internacional no que diz respeito ao atendimento médico às emergências radiológicas. 

Capacitação continuada da equipe da FEAM garante suporte para atendimento a radioacidentados

A Fundação Eletronuclear de Assistência Médica (FEAM) é a principal referência Nacional e Internacional no Brasil para atendimento a radioacidentados, juntamente com o Hospital Naval Marcílio Dias e o Instituto Nacional do Câncer, o INCA, através de seu Centro de Transplante de Medula Óssea. Essa condição, segundo Dra. Teresa Leite, colocou a Feam em um patamar internacional de atendimento a radioacidentados. “Por isso, o interesse de organizações como a OIEA em nos convidar para cursos internacionais neste setor”, explicou.

A FEAM conta com aproximadamente 200 profissionais, a maioria da área da saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos bioquímicos, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia, assistentes sociais e etc., que são capacitados todos os anos em atendimento a radioacidentados. Capacitação esta que é ministrada por equipe própria, também formada por profissionais médicos, enfermeiros e técnicos, especialistas neste tipo de atendimento.

A Fundação ainda é a responsável por capacitar profissionais de saúde de órgãos como: a Defesa Civil Estadual, o Grupamento de Socorro de Emergência (GSE/CBMERJ), o Exército, a Marinha e a Aeronáutica, além de outras instituições que tenham interesse no tema.

A FEAM faz parte de um sistema internacional de resposta a acidentes envolvendo radiações ionizantes, ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS). Recentemente, como já foi divulgado aqui na revista Viva Bem, produziu a primeira publicação em língua portuguesa que trata do tema, que é o Manual de Ações Médicas em Emergências Radiológicas, voltado para os profissionais de saúde.

“Por isso, é correta a afirmação de que a equipe mais bem capacitada para atendimento a radioacidentados no Brasil está junto à única central nuclear do país” finalizou Dra Teresa. Em março a Diretora-superintendente da Fundação Eletronuclear de Assistência Médica, Dra. Teresa Leite, e o médico Alexandre Maurmo, responsável técnico do Centro de Medicina das Radiações Ionizantes da FEAM, participaram do Curso Regional de Capacitação sobre Resposta Médica a Emergências Radiológicas em Santo Domingo, na República Dominicana. O Curso foi organizado pela Agência Nacional de Energia Atômica e o governo daquele país.  Foi a OIEA, inclusive, quem convidou Dra. Teresa e Dr. Alexandre para o curso, patrocinando a ida dos dois. O convite, segundo a diretora, demonstra o papel fundamental da FEAM no cenário internacional no que diz respeito ao atendimento médico às emergências radiológicas. 

Capacitação continuada da equipe da FEAM garante suporte para atendimento a radioacidentados

A Fundação Eletronuclear de Assistência Médica (FEAM) é a principal referência Nacional e Internacional no Brasil para atendimento a radioacidentados, juntamente com o Hospital Naval Marcílio Dias e o Instituto Nacional do Câncer, o INCA, através de seu Centro de Transplante de Medula Óssea. Essa condição, segundo Dra. Teresa Leite, colocou a Feam em um patamar internacional de atendimento a radioacidentados. “Por isso, o interesse de organizações como a OIEA em nos convidar para cursos internacionais neste setor”, explicou.

A FEAM conta com aproximadamente 200 profissionais, a maioria da área da saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos bioquímicos, técnicos em enfermagem, técnicos em radiologia, assistentes sociais e etc., que são capacitados todos os anos em atendimento a radioacidentados. Capacitação esta que é ministrada por equipe própria, também formada por profissionais médicos, enfermeiros e técnicos, especialistas neste tipo de atendimento.

A Fundação ainda é a responsável por capacitar profissionais de saúde de órgãos como: a Defesa Civil Estadual, o Grupamento de Socorro de Emergência (GSE/CBMERJ), o Exército, a Marinha e a Aeronáutica, além de outras instituições que tenham interesse no tema.

A FEAM faz parte de um sistema internacional de resposta a acidentes envolvendo radiações ionizantes, ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS). Recentemente, como já foi divulgado aqui na revista Viva Bem, produziu a primeira publicação em língua portuguesa que trata do tema, que é o Manual de Ações Médicas em Emergências Radiológicas, voltado para os profissionais de saúde.

“Por isso, é correta a afirmação de que a equipe mais bem capacitada para atendimento a radioacidentados no Brasil está junto à única central nuclear do país” finalizou Dra Teresa.