carta
  • hpb Hospital de Praia Brava
  • cmm Centro Médico de Mambucaba
  • amir Ambulatório Médico de Itaorna
  • cmri Centro Médico das Radiações Ionizantes
  • cira Centro de Informações sobre Radioepidemiologia
  • cmpm Centro Médico do Parque Mambucaba
example Banner

Notícias

voltar a notícias

Centro de Informações em Câncer e Anomalias Congênitas

A Fundação Eletronuclear de Assistência Médica está comemorando os seus 10 anos ampliando as ações no setor científico, com a inauguração do Centro de Informações em Câncer e Anomalias Congênitas (CICAC), que aconteceu no último dia 6 de março. A pertinência da criação deste Centro vinha sendo defendida pela direção da FEAM desde 2003. Em 2005, uma consultoria externa realizada na FEAM também apontou para a necessidade de acompanhar de forma mais direcionada as questões referentes ao aparecimento de câncer e anomalias congênitas.

 Criação também foi defendida em audiência pública

A criação do Centro de Informações também foi defendida durante uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Angra dos Reis, no ano passado. Os vereadores daquela legislatura mostraram-se preocupados com o assunto. A criação do Centro uniu a FEAM às secretarias de Saúde das prefeituras de Angra, Paraty e Rio Claro, que enviarão os dados oficiais da população. Ao Centro caberá tabular estes dados e, através de comparações nacionais e internacionais, traçar um perfil sobre a incidência de câncer e anomalias congênitas na população da região.
Segundo a diretora-técnica da FEAM, Dra. Teresa Leite, de antemão já se sabe que não existe aumento da incidência comprovado em nenhum estudo. De acordo com a médica, a criação do Centro vai trazer maior segurança para a população que vive no entorno da Central e também para os funcionários da Eletronuclear. “Com o acompanhamento sistemático que faremos, vai ser possível detectar qualquer alteração nos números de forma antecipada, o que nos permitirá de forma precoce encaminhar providências, caso exista necessidade”, destacou.

Ações para o acompanhamento de anomalias congênitas já vinham sendo tomadas pela FEAM

Doutora Teresa Leite também contou que antes mesmo da criação do Centro de Informações, a Fundação já tinha dado um passo importante em direção a isto quando ela aderiu a um estudo que acompanha anomalias congênitas no Brasil e no mundo. A médica estava se referindo ao ECLAMC (Estudo Colaborativo Latino-Americano de Más-formações Congênitas). O estudo é um centro colaborador da Organização Mundial de Saúde na área de más-formações congênitas. “O trabalho feito por este estudo é importante porque ele não acompanha só os óbitos, ele recebe, compila e trabalha esses dados gerando indicadores não só em relação à mortalidade por essas causas, mas o mais importante, ele é voltado para a morbidade, que é o período do aparecimento da doença”, explicou Dra. Teresa.

O Centro de Informações da FEAM é importante para o país

Voltando a falar do Centro de Informações, Dra. Teresa Leite lembrou que ele já é um órgão importante para o Brasil e que tem dois objetivos diretos: primeiro, poder dar tranqüilidade, certeza à população, de que nada acontece de errado por conta das usinas; depois, o Centro vai poder escrever diversos trabalhados científicos e mostrar à comunidade internacional que o Brasil tem estudos neste sentido, a exemplo do que acontece em diversas partes do mundo. Para finalizar, a médica lembrou ainda que a criação do Centro de Informações também foi apontada pelo IBAMA como fundamental durante as audiências públicas de Angra 3.

Uma equipe de peso

O Centro de Informações da FEAM já conta com a assessoria de um especialista de renome nas áreas de epidemiologia e de atendimento a emergências nucleares. Estamos falando do Dr. Nelson Valverde, que integra a equipe da Fundação desde janeiro passado e já está a serviço do Centro. Atualmente, Dr. Nelson Valverde, que é perito colaborador da Organização Mundial da Saúde (OMS) para a área de Emergências Radiológicas, também desenvolve assessoria para as Indústrias Nucleares Brasileiras (INB), onde também coordena um estudo epidemiológico sobre câncer e anomalias congênitas na região de Caetité, na Bahia, onde a INB explora uma mina de urânio.
Nelson Valverde vem integrar a equipe do Centro de Informações com dados recentes de uma tese de mestrado que ele acompanhou como professor do Laboratório de Ciências Radiológicas da UERJ. O trabalho fez um comparativo de mortalidade por cânceres em Angra e em Cabo Frio. A tese não mostrou nenhuma discrepância nos resultados de uma região para outra.

Fatores relevantes

Para Nelson Valverde, a criação do Centro de Informações da FEAM vem ao encontro de alguns fatores de extrema importância: primeiro, no que se refere à demanda pública. Isso porque existem muitos mitos e receios por parte da população que vive no entorno de uma Central Nuclear. Depois, demonstra que o próprio governo brasileiro quer ser transparente, mostrando de forma clara todos os dados referentes a isso. “A criação do Centro de Informações é uma atitude de respeito e foi feita em um momento em que o governo estuda a construção de outras usinas. Além disso, o Centro e suas atividades atendem a aspectos legais e recomendações internacionais,” finalizou Dr. Valverde.